Mídias Sociais

Brasil é 42º em ranking de economia digital

Se você é novo por aqui, pode nos acompanhar assinando nosso RSS feed. Gratos pela visita!

O estudo reflete a capacidade das nações de maximizar a utilização das tecnologias da informação e comunicação (TIC) em benefício dos consumidores, empresas e governos.

A Suécia lidera o levantamento (8,49 pontos), seguido por Dinamarca (nação que ostentava a primeira posição no ano passado), Estados Unidos, Finlândia e Holanda, fechando os cinco primeiros.

Realizado anualmente pela unidade de inteligência da revista The Economist, em parceria com a IBM, o ranking avaliou 70 países.

Imagem reflete o predomínio do twitter por nacionalidades:

Nações em desenvolvimento, como Estônia (25º), Chile (30º) e México (41º) estão à frente do Brasil, que supera China (56º), Índia (58º) e Rússia (59º).

O Azerbaijão ocupa a última colocação no estudo, com apenas 3 pontos.

A relação completa pode ser conferida no site da Economist Intelligence Unit.

Fonte: InfoExame


Crescimento do E-commerce traz PayPal ao Brasil

Será anunciado na próxima semana a instalação da empresa de pagamentos mundial PayPal no país.

Atualmente, 15% das vendas eletrônicas mundiais ocorrem via PayPal. Muitos consumidores preferem usá-lo para evitar abrir dados financeiros em sites desconhecidos. Para a companhia, é isso o que impede 85% dos internautas brasileiros de fazer compras on-line.

Em outubro, a Folha revelou que o PayPal usaria o Brasil como base para sua expansão pela América Latina, prevendo que as vendas on-line movimentarão US$ 13 bilhões (cerca de R$ 23 bilhões) somente no Brasil até 2012.

Dados do Mercado Brasileiro:

  • Vendas do comércio eletrônico crescem 40% no 1º semestre

Os consumidores brasileiros movimentaram R$ 6,7 bilhões em compras na internet no primeiro semestre do ano, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pelo e-bit, empresa especializada em informações sobre o setor.

O valor –que não inclui vendas de veículos, passagens aéreas e leilões virtuais– representa um crescimento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com a consultoria, a expansão foi impulsionada por venda de TVs de tela plana e artigos esportivos por conta da Copa do Mundo. O valor médio das compras aumentou 17% em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 379.

O número de internautas que fizeram ao menos uma compra virtual chegou a 20 milhões de consumidores ao final de junho. Em dezembro, eram 17,6 milhões.

O Brasil tem hoje quase 70 milhões de internautas e os usuários ativos somam cerca de 37 milhões de pessoas, segundo levantamento do Ibope.

Em 2009, a entrada das Casas Bahia no segmento de comércio virtual impulsionou o aumento de 30% no e-commerce, com as vendas eletrônicas alcançando R$ 10,6 bilhões de faturamento. A redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a linha branca –geladeiras, fogões– também contribui com o resultado.

  • Redes sociais contribuiram para gastos de R$ 335 mi em compras on-line

As redes sociais, como Orkut, Facebook e Twitter, estão influenciando o comércio virtual no Brasil. Um estudo feito pela consultoria de informações sobre e-commerce, e-bit, concluiu que essas mídias contribuiram para o faturamento de R$ 335 milhões em negócios virtuais no primeiro semestre deste ano.

A estimativa levou em conta os clientes que responderam ter as redes sociais como motivador da compra. ” O número ainda é baixo, mas deve crescer nos próximos anos”, apontou o diretor de marketing e produtos do e-bit, Alexandre Umberti.

  • Cresce participação da classe C no comércio virtual

De acordo com os dados divulgados pela consultoria e-bit, que reúne informações sobre e-commerce no Brasil, mostram que 60% dos novos consumidores possuem renda familiar de até R$ 3 mil.

No primeiro semestre, a consultoria registrou a entrada de 2,4 milhões de consumidores para o mundo das compras virtuais. Esse adicional fez a base dos clientes que já fizeram ao menos uma aquisição pela internet chegar a 20 milhões de pessoas.

Fonte: Compilado de Folha.com – 24/08/2010


Métricas de Comportamento no Twitter

Este vídeo mostra o modo como pulsa a nação dos E.U.A, indicado por 300 milhões de tweets, ao longo do dia. Os mapas são representados com densidade de preservação cartogramas.

Variações de Humor

Uma série de tendências interessantes podem ser observadas nos dados. Primeiro, em geral variações diárias podem ser vistas no  início da manhã e tarde da noite, com o maior nível de tweets felizes. Por outro lado, variações geográficas podem ser observadas , como na costa oeste,  mostrando tweets mais felizes em um padrão que é consistentemente três horas atrás na costa leste.

Já pensaram na quantidade de métricas possíveis, cruzando dados de cada rede por categorias e entre redes sociais?

Mas o que isso tem a ver com o meu negócio? Tudo!

Pense, se tivermos a informação de como se comportam os brasileiros, por região, nas redes sociais, você poderá definir horários mais propícios para programar suas estratégias de matketing digital de forma a impactá-los positivamente.

Ou se for um professor, poderá definir também períodos mais adequados para que alunos lhes respondam positivamente a determinadas questões.

É preciso aprender a usar a informação disponível de forma a causar resultados positivos na sociedade e consequentemente, no seu negócio.


O poder do Eu-mídia.com

O poder de revolucionário da opinião pública e democrática foi potencializado pela internet e devolvido novamente a mão de cada um de nós pelas redes sociais.

Hoje nós somos consumidores de informação e ao mesmo tempo produtores. Saímos do lugar passivo de receptores para adotarmos uma atitude pró ativa. ( Prosumer)

Se empresas e corporações têm intrinsecamente na sua razão de ser o dever de suprir as necessidades das pessoas, as que não estiverem cumprindo seu papel a contento e não alinharem seus princípios a responsabilidade sócio-ambiental, talvez possam vir a ser varridas do mercado brevemente.

Umberto Eco no livro da década de 70, ” Viagem a Irrealidade Cotidiana ” , trouxe a luz uma interessante reflexão de não entender como as pessoas pagavam por um produto, onde a marca da empresa era de extrema evidência, resultando em propaganda gratuita para uma empresa.

Peter Druker, o pai do Management, em entrevista datada de 2001, falando sobre tendências, disse:

“No futuro o social será mais importante que as empresas.”

Se antes um disparo em TV impactava momentaneamente regiões com milhões de habitantes, hoje uma pessoa de forte representatividade ou de conteúdo relevante, pode impactar com um disparo no Twitter | Facebook | Blog, também milhões de pessoas. No twitter, Lady Gaga alcança 5,748,010 seguidores.

A diferença entre as mídias tradicionais e as sociais é a possibilidade de registro e ampla divulgação desse registro por longo espaço de tempo.

Portanto o caráter e o alcance da mídia de massa tradicional, hoje pode ser dividido com as redes sociais, onde qualquer um pode ser um pop star ou um ponto (nó ou nodo) de grande influência. Aí reside a revolução da web 2.0, colocou o poder nas suas mãos.

Além disso as redes sociais estão se transformando em plataforma de negócios, imprescindível na estratégia das empresas. (By Marcello Póvoa)

Se inspire, veja o que acontece pelo mundo e aqui no Brasil:

  • reclameaqui.com.br - Sistema de reclamações aberto a qualquer cidadão que preencha corretamente o cadastro no site. Sem qualquer custo a reclamação é publicada e um aviso é encaminhado via e-mail à parte reclamada, caso a empresa tenha seu Serviço de Atendimento ao Cliente Cadastrado no Reclame Aqui. As empresas poderão responder a qualquer momento, publicando assim a resposta à reclamação do cidadão, bastando apenas estarem cadastradas no site (totalmente GRATUITO)
  • privalia.com – Clube de compras online
  • avaaz.org – É uma nova rede de mobilização global com uma simples missão democrática: acabar com a brecha entre o mundo que nos temos, e o mundo que queremos. É organização que organiza, divulga, monitora e encaminha petições online. Encabeçou a campanha online da votação do porjeto Ficha Limpa.A tecnologia e a Internet permitiram que os cidadãos se conectem e se mobilizem como nunca visto antes. A ascensão de um novo modelo de democracia participativa, guiado pela sociedade civil através da Internet está mudando países da Austrália às Filipinas aos Estados Unidos.
    .
    Avaaz trouxe a tendência para a escala global, conectando pessoas além das fronteiras e trazendo uma nova voz para a política internacional que antes era inacessível para a população.

O que as Redes Sociais podem fazer pela sua empresa

Vejamos as diferenças fundamentais entre as conversas interpessoais e as realizadas nas redes sociais:

  • em conversas presenciais, os comentários e respostas são instantâneos e logo substituídos por outros temas. Já o que foi dito online, fica registrado nos scraps do Orkut, posts no mural do FaceBook ou tweets do Twitter, por exemplo, e disponíveis para consulta, até que o usuário modere o acesso ou decida apagá-los.
  • o número de participantes é limitado, nas conversas presenciais, enquanto em uma rede social suas mensagens serão divulgadas para todos os seus contatos, ou seja, o número de pessoas participando da “conversa” é muito maior.

Antes a opinião de 1 pessoa impactava até 10 pessoas. Nas redes, a proporção é de 1 para 800 pessoas.

Como essa realidade pode influenciar as empresas?

Seus produtos e/ou serviços são assunto relevante. Como boa parte da conversação permanece registrada na web, assuntos que forem pesquisados por pessoas que estão passando por um processo de decisão de compra qualquer, encontrarão referências, positivas ou não à sua marca, produto e ou serviços.

Milhões de pessoas conversam sobre produtos e experiências de consumo todos os dias nas mídias sociais. Este é o ponto! É a grande oportunidade para as empresas capturarem todo o feedback seja ele positivo ou negativo e transformarem em métricas aplicáveis a estratégias e modelos de negócio. Quem sabe reestruturando uma área da empresa que não anda como você gostaria.

Ter ou não ter uma presença ativa na rede é uma decisão estratégica, mas escutar e interagir com os usuários
( preferencialmente interagindo ao que possa ser interpretado negativamente por terceiros ) é dever e uma característica positiva de empresas transparentes e bem resolvidas nos dias de hoje.

Você sabe o que estão falando de sua empresa, produtos e serviços nas redes? Cabe a você decidir participar ou não da conversa.

Outras Vantagens:

O que faz o webmarketing ser “a bola da vez” ?

A mobilidade e interatividade.

( Trecho extraído da versão completa By Cristina Cavasotto)

Empresas que desenvolveram seu webmarketing de forma eficiente, aliaram a possibilidade de presença em todos os locais que seja do seu interesse, mobilidade e interatividade. Ou seja,
se pode estar onde o cliente está quase que onipresente, no entanto, sem interrompê-lo.

Portanto, a internet, sob a ótica de meio, contribui e adiciona vantagens ao webmarketing em relação ao marketing tradicional e podemos citar algumas:

1- certeza de alcance; ( Alguém clica num link que não viu ou se interessou? Mas quantos de nós presta atenção nas propagandas do intervalo do noticiário preferido?

2- agilidade; ( Se uma peça digital não obtém a audiência planejada, é possível criar outra quase que imediatamente com custo baixíssimo. Pense agora num outdoor, publicidade impressa ou mesmo rádio e TV. Quantos contatos precisarão serem feitos, tempo e custo de produção, veiculação…. e lá se foi tempo e dinheiro perdido.)

3- redução de custo;

4- interatividade; ( Vemos hoje saltos significativos em linguagens de programação que permitem criar pequenas lojas ou vitrines virtuais em formatos de banners, onde se pode ver os produtos, com informações básicas e havendo interesse, o internauta customiza o produto e fecha a compra ou é remetido ao site anunciante para fechamento.É o caso dos Widgets

5- monitoramento das ações em tempo real;
( Ao lançar uma campanha, é possível acompanhar instantaneamente os dados estatísticos da sua ação dentro do prazo de veiculação e meio escolhido — email-marketing, links patrocinados ou outros. Você poderá se surpreender percebendo haver demanda por seus produtos e/ou serviços na cidade vizinha que pensou não haver).

6
- conhecimento do comportamento do cliente, feedback das ações de marketing, rapidez na tomada de decisão. ( A capacidade de exercer o monitoramento de todas as ações ao longo do tempo, perfil demográfico de clientes, cidades, horários, interesses de busca, por onde as pessoas entram no seu site e por que página elas saem, áreas de maior acesso…enfim um monitoramento quase completo do seu negócio e ações on-line).

Related Posts with Thumbnails

  • Fabebook Zope Twitter Zope Zope Youtube
  • Copyright © 2010-2013 - Zope Mídia Gestão Digital e Eventos LTDA - Av Prefeito Evandro Behr, 4400 - Camobi - Santa Maria, RS || +55 (55) 9128 - 5688 / (51) 8188 - 4487 || .... CNPJ: 12.368.660/0001-09
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress