Se você é novo por aqui, pode nos acompanhar assinando nosso RSS feed. Gratos pela visita!

Será anunciado na próxima semana a instalação da empresa de pagamentos mundial PayPal no país.

Atualmente, 15% das vendas eletrônicas mundiais ocorrem via PayPal. Muitos consumidores preferem usá-lo para evitar abrir dados financeiros em sites desconhecidos. Para a companhia, é isso o que impede 85% dos internautas brasileiros de fazer compras on-line.

Em outubro, a Folha revelou que o PayPal usaria o Brasil como base para sua expansão pela América Latina, prevendo que as vendas on-line movimentarão US$ 13 bilhões (cerca de R$ 23 bilhões) somente no Brasil até 2012.

Dados do Mercado Brasileiro:

  • Vendas do comércio eletrônico crescem 40% no 1º semestre

Os consumidores brasileiros movimentaram R$ 6,7 bilhões em compras na internet no primeiro semestre do ano, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pelo e-bit, empresa especializada em informações sobre o setor.

O valor –que não inclui vendas de veículos, passagens aéreas e leilões virtuais– representa um crescimento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com a consultoria, a expansão foi impulsionada por venda de TVs de tela plana e artigos esportivos por conta da Copa do Mundo. O valor médio das compras aumentou 17% em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 379.

O número de internautas que fizeram ao menos uma compra virtual chegou a 20 milhões de consumidores ao final de junho. Em dezembro, eram 17,6 milhões.

O Brasil tem hoje quase 70 milhões de internautas e os usuários ativos somam cerca de 37 milhões de pessoas, segundo levantamento do Ibope.

Em 2009, a entrada das Casas Bahia no segmento de comércio virtual impulsionou o aumento de 30% no e-commerce, com as vendas eletrônicas alcançando R$ 10,6 bilhões de faturamento. A redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a linha branca –geladeiras, fogões– também contribui com o resultado.

  • Redes sociais contribuiram para gastos de R$ 335 mi em compras on-line

As redes sociais, como Orkut, Facebook e Twitter, estão influenciando o comércio virtual no Brasil. Um estudo feito pela consultoria de informações sobre e-commerce, e-bit, concluiu que essas mídias contribuiram para o faturamento de R$ 335 milhões em negócios virtuais no primeiro semestre deste ano.

A estimativa levou em conta os clientes que responderam ter as redes sociais como motivador da compra. ” O número ainda é baixo, mas deve crescer nos próximos anos”, apontou o diretor de marketing e produtos do e-bit, Alexandre Umberti.

  • Cresce participação da classe C no comércio virtual

De acordo com os dados divulgados pela consultoria e-bit, que reúne informações sobre e-commerce no Brasil, mostram que 60% dos novos consumidores possuem renda familiar de até R$ 3 mil.

No primeiro semestre, a consultoria registrou a entrada de 2,4 milhões de consumidores para o mundo das compras virtuais. Esse adicional fez a base dos clientes que já fizeram ao menos uma aquisição pela internet chegar a 20 milhões de pessoas.

Fonte: Compilado de Folha.com – 24/08/2010

Related Posts with Thumbnails