Se você é novo por aqui, pode nos acompanhar assinando nosso RSS feed. Gratos pela visita!

Apresentamos uma discussão levantada por Brian Solis co-autor do livro Engage!

Há um ditado, “a tecnologia muda, as pessoas não.” No entanto, quando consideramos o impacto da tecnologia no nosso quotidiano, há certas observações superficiais interessantes …

Hoje segurar uma caneta pode parecer estranho e, como tal, a nossa caligrafia está se deteriorando.

Hoje, é cada vez mais comum sentar em uma mesa de jantar com a família e amigos, onde alguns estão ativamente se comunicando com os outros, ouvindo música ou jogos através de dispositivos móveis.

Estamos redefinindo a percepção, fronteiras e limites da privacidade. O futuro da arte de escrever está em risco de se tornar cada vez mais curta e menos formal.

Para alguns, a tecnologia incentiva experiências de imersão e você se vê introvertido em locais públicos, reduzindo a dinâmica natural do ser humano de conversar e fazer amigos. Para contrapor essa tendência, cafés estão se tornando “zona de Wi-Fi gratuita.”

Para outros, as redes sociais online são um bom veículo para converter os introvertidos em extrovertidos digitais, onde estes aumentam sua participação a medida que tornam-se confiantes como respostas, “gostei”, pedidos de amizades e etc.

Para se conectar com outros seres humanos agora ou no futuro, não basta apenas mudar, é preciso evocar um sentimento de Digital darwinismo. O mantra do “Engage or Die!”

As redes sociais são compostas por navegação e clique, conexão e partilha de centenas de milhões de habitantes da Internet em todo o mundo. Enquanto o Facebook é o equivalente digital à sua residência online, o Twitter é o reflexo do “eu” nos meios de comunicação social. Twitter não é uma rede social, é uma série de personalidades disparadamente ligadas pela amizade, admiração, educação e contexto.

Como nós absorvemos e investimos na nossa persona neste paradigma, diz mais sobre o futuro da cultura digital e de nós mesmos do que poderíamos imaginar.

Em recente evento Tech hospedado no KickLabs em San Francisco, co-fundador do Twitter Evan Williams inferiu que o Twitter é realmente uma “cura” para a sobrecarga de informações. Williams compara o Twitter a um meio receptor-driven, onde as pessoas que têm algo a dizer podem agora encontrar e atingir o público certo: “É uma situação muito melhor para quem produz e consome a informação” . Então o consumidor pode dimensionar melhor “em um mundo de informação infinita.”

@ Ev também discutiu o futuro da relevância Tweets e como irá se adaptar aos seus interesses. Ele comparou a experiência a Google, “Google é muito bom em” . Preciso resolver um problema, eu preciso comprar alguma coisa, eu preciso de uma resposta. Twitter é mais “eu estou interessado em muitas coisas, eu não sei o que eu preciso saber.” O que é preciso melhorar em escala o sistema, para que você não tenha que prestar atenção a tudo, mas não perca as coisas que você gosta. ”

O Estado do Egosystem Evolving

Ao longo dos anos, medindo o impacto do Twitter como um meio, difícil e indescritível como os detalhes e os números não provém Twitter em si. Os APIs de terceiros nos ajudou a pintar a paisagem para visualizar a proliferação enorme do que começou como um microblog e mais tarde evoluiu para um complexo sistema de partilha, descoberta, e para expressar nosso monólogo interior. Para ajudar, Williams postou detalhes, estatísticas, e direção do blog Twitter. Como resultado, alguns padrões de uso muito interessante e as taxas de aprovação foram revelados.

Em primeiro lugar, o Twitter oferece mais de 145 milhões de usuários registrados. Em Abril, na sua conferência inaugural, o Twitter anunciou 105 milhões de usuários twitando mais de 65 milhões de vezes por dia. O número de contas ativas no entanto, permanece desconhecida. Agora é possível ao Twitter explicar melhor a sua missão, finalidade e sistema de valores aos consumidores diarimanete, o número só tende a crescer.

Evan Williams também mostrou um relance do ecossistema do Twitter e como os indivíduos se conectam um ao outro. Se o “Web is Dead” usuários do Twitter têm ainda como acompanhar as notícias. Twitter.com e conta m.twitter.com 92% de todos os acessos e comunicação.

Espera-se que as Ciências Sociais revele o futuro das Redes Sociais

A ciência social é o estudo da sociedade humana e as relações sociais e seu papel na evolução do Twitter, redes sociais e o futuro das sociedades on-line é fundamental. Embora o foco é no futuro, devemos também olhar para o passado e o presente de encontrar sentido, propósito e visão para orientar o progresso. Esta rápida evolução exige um estudo a fim de navegar, alterar e definir um plano de ação e quais as formas que queremos de passagem para o futuro.

Como a tecnologia e a internet afetam o comportamento humano e a cultura, entender como chegamos até aqui vai nos ajudar a projetar para onde estamos indo. O futuro da comunicação, dos relacionamentos e da educação está em suas mãos … e no que você faz diariamente nas redes e na prática das suas ações.

Related Posts with Thumbnails